Rotas do Baixo Guadiana

/ Cotidianos paralelos

Quotidianos paralelos: margem direita

Tipologia: Por estradaA pé
Distancia: Variável (em função dos centros a visitar)    Duraçao: 1 día
Municípios que abrange:
Alcoutim
Mértola
Ponto de Saída: Mértola (centro urbano)
Ponto de Chegada: Alcoutim (centro urbano)
  • Mértola: 37.65447,-7.658844
  • Minas de Santo Domingos: 37.688167,-7.498169
  • Sao Miguel do Pinheiro: 37.546823,-7.838058
  • Pomarào: 37.572338,-7.523575
  • Alcoutim: 37.472951,-7.473192
  • Guerreiros do Río: 37.411619,-7.445297
  • Farelos: 37.479762,-7.651978
  • Monte da Fonte Zambujo, a 4 Km de aldeia do Pereiro: 37.423071,-7.584686
  • Monte da Barrada, a 3 km de Martim Longo: 37.424162,-7.794113
  • Vaqueiros: 37.390345,-7.728882
  • Pereiro: 37.558187,-7.840805

Com quotidianos paralelos: na margem direita o visitante poderá conhecer os aspectos mais quotidianos dos diversos sítios da margem direita do Baixo Guadiana, observando como ao longo da historia o aproveitamento dos recursos, técnicas e tarefas, foram evoluindo, passando do tradicional ao contemporâneo. Assim na margem direita do Baixo Guadiana poderemos conhecer centros que destacam os ofícios e trabalhos existentes ao longo da história e que ainda existem, configurando a identidade do povo do Baixo Guadiana.

Começaremos a visita no centro histórico de Mértola, onde visitaremos alguns dos centros museológicos de “Mértola, Vila Museu”, os que nos mostram o quotidiano da vida passada deste território do Baixo Guadiana. São eles:

  • Museu do Ferreiro (Núcleo do Ferreiro)
  • Centro artesanal do Tecido (Tecelagem)

Do centro histórico, com transporte, iremos a Minas de São Domingos para conhecer a cultura mineira deste território, oficio que marcou a paisagem do Baixo Guadiana. Visitaremos a Casa do Mineiro, incluída também em “Mértola, Vila Museu”, na qual se recriam como eram as antigas vivendas deste povoado mineiro e que, além disso, acolhe o Centro de Documentação das explorações mineiras deste território.

Seguindo com a tradição mineira dirigirmo-nos ao núcleo do Pomarão, nas margens do Guadiana, onde os barcos carregavam o mineral proveniente das Minas de São Domingos. Infra-estruturas como o embarcadouro do mineral fazem deste núcleo um cenário de grande beleza do que foram aqueles tempos desta actividade económica.

Antes de sair de Mértola, dirigirmo-nos a São Miguel do Pinheiro para visitar o museu com o mesmo nome, no qual se expõem e interpretam as diversas ferramentas que permitiam fabricar o pão. Situa-se, claro, ao lado do Moinho de Vento de São Miguel do Pinheiro.

Repartidos pelo município de Alcoutim situam-se um conjunto de espaços museológicos que tratam de explicar, por várias disciplinas, a história, ofícios e artesanato deste município e, por extensão, do Baixo Guadiana. São eles:

  • Parque Mineiro Cova Dos Mouros (Alcoutim), em Vaqueiros
  • Museu do Rio, em Guerreiros do Rio
  • Espaço Museológico “Tecer e Usar”, em Farelos
  • Espaço Museológico “Construção da Memória”, no monte da Fonte Zambujo, a 4 Km da aldeia de Pereiro
  • Espaço Museológico “Espelho de Nós”, situado a 3 Km de Martim Longo, no Monte da Barrada
  • Espaço Museológico “Vidas do Campo”, em Vaqueiros
  • Casa do Ferreiro, situada na aldeia de Pereiro.

Na página web da Câmara Municipal  poderá encontrar mais informação destes espaços.

  • Esta rota tem a duração de 1 jornada (1 dia) e está dirigida aos turistas que estejam nos hotéis da Costa e nos alojamentos turísticos do interior do Baixo Guadiana. Esta rota também poderá ser “utilizada” por colégios ou diversas organizações locais do Baixo Guadiana e demais regiões do Algarve, Baixo Alentejo e Huelva.
    Não se recomenda visitar todos os centros de uma só vez, pois as distancias e vias de comunicação não são por vezes óptimas. Deixa-se ao critério do visitante a eleição de uns centros ou outros.
  • O bloco temático Quotidianos Paralelos articulou-se à volta de duas rotas (margem esquerda e margem direita) por questões de acessibilidade física, de forma a que possam realizar-se cada uma delas num só dia.
  • Esta Rota pode-se realizar durante todo o ano, ainda que seria recomendável evitar as altas temperaturas do Verão.
  • A rota não se articula de forma sequencial, em que um Centro nos guia ao seguinte. Por isso, poderá iniciar a rota em qualquer dos CI apresentados.
  • A coordenação entre entidades gestoras dos Centros será de grande importância em matérias de informação de horários e dias de abertura, preços, tamanho de grupos, etc.